Publicidade

Publicidade

Arquivo de agosto, 2010

31/08/2010 - 20:25

Acrichic

Compartilhe: Twitter

Mais de dez anos atrás, fui apresentado à bacanuda designer Maria Francisco (filha da engraçadíssima e inesquecível Nair Bello). Estilosa até o tutano, Maria sabe das coisas. Pupila de Costanza Pascolato num passado distante, essa paulista com molho carioca tem uma maneira inacreditável de lidar com acrílico, a matéria-prima matriz de sua marca Maria Bello. A nova coleção, Fabric Forever, acentua o interesse da esteta pelo universo fashion. “Quero eternizar estampas de coleções passadas de diferentes estilistas. Meu amigo Reinaldo Lourenço é o primeiro da lista”, contou-me ela ao telefone.

A técnica é a mesma: incorporar tecidos em chapas de acrílico, produzindo luminárias, abajures, pendentes, mesas laterais, bandejas, caixas, braceletes, pufes e tecidos emoldurados. Tudo divino e maravilhoso!

Bello Garagem
Rua Cônego Eugênio Leite, 170 C
Tel. 11 2638-7982

Autor: - Categoria(s): Design Tags: ,
30/08/2010 - 20:14

Resto de toco

Compartilhe: Twitter

Dica do balacobaco garimpada pela fofíssima Junia Baracat, assistente de produção executiva aqui de Wish Report. Pode ser uma mesinha de apoio, um banquinho, um suporte para um vaso ou uma escultura rústica para dar um toque natural na casa – eu o usaria assim mesmo, in natura, tal e qual veio ao mundo. Esculpido à mão em madeira teca, o móvel Bitan é um dos garimpos que a Espaço Til costuma fazer em paradas distantes, como Índia, Filipinas, Indonésia, Vietnã, Tailândia e China. Um dos endereços mais antenados em móveis e acessórios de perfume étnico, a loja de Edmundo Rodrigues acaba de receber um contâiner recheado de novas decobertas daquelas bandas. Se você curte um tempero rústico chic no ambiente, a hora é essa.

Espaço Til
Al. Gabriel Monteiro da Silva, 689, São Paulo
tel. 11 3063-5593
+ espacotil.com.br

Autor: - Categoria(s): Design Tags: , , , ,
24/08/2010 - 20:02

Sem folha não tem sonho

Compartilhe: Twitter

Uma coisa pode até não ter muita relação com outra, mas quando vi essas luminárias, a música da Bethânia (escrita por Gerônimo e Ildásio Tavares), começou a ecoar sem parar na minha cabeça.

Um dos designers mais bombados do século 21, Ross Lovegrove não para de inventar moda. A última do designer inglês atende pelo nome de Cosmic Leaf. Com corpo de metal e difusor de acrílico, a luminária é fiel à produção do artista, que explora formas orgânicas com efeito futurista, acentuando as curvas ao máximo. “Produtos quadrados não se relacionam com você, com o seu corpo. O orgânico é abstrato, ele pode estar presente em qualquer lugar e em qualquer coisa que você faça. É a forma que você pensa e enxerga”, diz. Sacou a relação com o shape da folha? Como cantava a mana do Caetano na abertura do seu show Brasileirinho: “Sem folha não tem sonho / Sem não tem vida / Sem folha não tem nada”.

La Lampe
Al. Gabriel Monteiro da Silva, 1.258
tel. 11 3069-3949
+ lalampe.com.br

Autor: - Categoria(s): Design Tags: , ,
17/08/2010 - 18:02

(In)dígena

Compartilhe: Twitter

São muitos os desafios do designer do século 21. A crítica pede arte; a indústria pressiona por originalidade, viabilidade técnica e exclusividade; e o varejo, no topo da pirâmide, só quer saber mesmo é se o produto é bom, bonito e barato. Inventar algo novo em 2010, quando todos os conceitos, formas, volumes e texturas já foram experimentados, é desafio titânico. Exatamente por isso, há de se reconhecer o mérito de quem consegue seguir a trilha de migalhas e encontrar o caminho de casa.

Sergio J. Matos é uma das melhores ofertas na cena atual. Matogrossense de Paranatinga, formado pela Universidade Federal da Paraíba, o artista assina um portfólio consistente que, antes de absorver as referências globalizadas e novas tecnologias, bebe na fonte da própria memória sentimental e do seu “faroeste” geográfico. “Minhas influências vêm de onde nasci e dos lugares onde morei. No interior do Mato Grosso, vivi intensamente a coisa do campo, da natureza e dos costumes. Ali, perto das aldeias indígenas, aprendi muito sobre a valorização dos recursos da terra.

Quando me mudei para o Nordeste, foi um novo impacto por conta das cores, paisagens, materiais”, conta ele. Essa cultura popular brasileira é o DNA do seu trabalho. Na última temporada internacional de design em Milão, Mattos causou frisson com as peças que levou para o Salão Satélite: o banco Xique-Xique, inspirado em uma espécie de cacto sertanejo, e o divertido Carambola, com shape inspirado na fruta. Entre as principais matérias-primas que utiliza, estão fibras e extratos naturais inusitados, como a resina de mamoma (material desenvolvido por ele mesmo). Enfim, uma novidade – de fato, original.

Estamos de olho nele!

Autor: - Categoria(s): Design Tags: ,
Voltar ao topo