Publicidade

Publicidade

02/12/2009 - 14:15

Banheirão

Compartilhe: Twitter

Caríssimos, que calor senegalês é esse? Definivamente, não fui projetado para os Trópicos, mas a gente se vira como pode – na piscina, no ofurô, na banheira, na cuia  ou na ducha mesmo, que é o que tem para hoje.
Em dias assim, o banheiro passa cada vez mais a assumir o papel de spa privê, tanto pela ideia dos cuidados extras que o corpo pede, como pela questão da refrescância em si (etimologicamente, aliás, a palavra spa, oriunda do latim, significa “cura pela água”). Sagitariano fogo-na-roupa que sou, no verão não passo sem pelo menos três banhos ao dia – uma neurose, reconheço.
RainshowerIcon-baixa
Mas todo esse blablablá para introduzir novidades de toillete em si. Semana passada estive na Vallvé (www.vallve.com.br), umas das grifes de louças e metais mais bacanas da praça, participando do juri do Banho Assinado (concurso já tradicional que Pedro Sedó & Cia fazem todos os anos, para dar um impulso no mercado e incentivar grandes pranchetas – sejam as consagradas ou as promissoras – a caprichar no visual do WC). Independente disso ou daquilo, é muito legal ver o destaque que o cantinho mais íntimo da casa vem ganhando nos projetos arquitetônicos. E, cá entre nós, os livings que me perdoem, mas cozinha e banheiro… são fundamentais!

Vallve-Vista-Frontal

De volta ao Banho Assinado, os vencedores da temporada foram Luciana Pastore (modelo pop, com banheira) e Paula Magnani (o look zen, com madeira). E no abre do post, só para lavar a alma no melhor estilo “um banho de alegria num mundo de água quente”, coleção das divertidas duchas manuais Rainbow, da noventona Grohe (líder mundial do segmento), a venda com exclusividade na Vallvé. Cromoterapia já!

valve3039039039039

Autor: - Categoria(s): Design Tags: , , , , ,
27/07/2009 - 18:39

Alfreeeeeeeeeedo!!!

Compartilhe: Twitter

Lembra do mordomo do reclame da Neve, clássico dos 80s que socorria almas desesperadas em busca daquele papel higiênico que sempre falta na hora H? Nem adianta torcer o nariz porquê, etiquetas à parte, todo mundo usa (e abusa) deste acessório, melhor amigo do mais íntimo dos momentos – sem falar que o garboso Alfred é muito mais elegante do que aquele escabroso comercial latino de desodorizador de ar, em que o molequinho berrava “Manhêeeee, eu quero fazer cocô na casa do Pedrinho!”. Papo furado de lado (e necessidades fisiológicas também), o post do dia é para apresentar as latinhas fofas que a Neon, dos modernetes Dudu Bertolini e Rita Comparato, acaba de assinar para a Neve. Divertidas e supergráficas, as ilustrações exclusivas são a cara da última coleção da grife – compare na seleção de looks.

O feito não é inédito, o que só atesta que a moda não passa aperto nem quando o assunto é o “número 2” – embora nem alFreud explique o link, Isabela Capeto e Ronaldo Fraga já assinaram seus modelões alfredianos. De volta à latrinha, ops, à latinha, ouvi dizer que elas funcionam bem como porta-trecos colecionáveis, mas a verdade é uma só, caro leitor: elas servem mesmo é para guardar aquele portentoso rolo de papel do banco de reserva. Tanto que a promoção é a seguinte: a cada pacotão de 12 rolos de 50 metros, o consumidor leva o mimo para casa. Vamos combinar que ninguém precisa de lata para guardar papel-higiênico, né? Mas que uma frescurinha fashion dessas cai bem em qualquer lugar (inclusive no banheiro), isso ninguém pode negar. Já para o trono!

Autor: - Categoria(s): Design Tags: , , ,
13/07/2009 - 21:28

Cuba libre

Compartilhe: Twitter

A designer espanhola Patricia Urquiola (www.patriciaurquiola.com), uma das mais hypadas das últimas edições do Salão do Móvel, mira sua prancheta para o banheiro. Sua primeira linha de metais sanitários, produzidos pela alemã Hansgrohe, aterrissa na Metalbagno Spazi (www.metalbagno.com.br) arrancando suspiros de quem quer dar um tapa no toilet.

Cálida, mas supermoderninha, a coleção Axor (monocomandos, misturadores, banheiras e acessórios) tem um desenho mais sensual, orgânico, com curvas acentuadas e uma textura leitosa que convidam ao toque. O modelo da foto acima, cuba de bancada feita de resinas acrílicas e minerais, lembra o desenho de uma banheirinha de bebê. Dizem que a inspiração foi a própria maternidade – Patricia está gravidíssima. Aqui na redação, o mulherio pirou com o look uterino da peça: “É a cuba mais fofa que já vimos“, dizem a Ana Lúcia e Ana Montenegro, em uníssono, com biquinho de cuti-cuti. Então tá, né?

Ainda da série “seu lavabo com tudo em cima”, tem mais novidade gringa no mercado. A Grohe, outra todo-poderosa alemã no mercado de metais, aterrissa no Brasil via Vallvé (www.vallve.com). Para quem interessar possa: Blockbuster da vez (só no ano passado a fatura da marca bateu na casa do 1 bilhão de euros em vendas), a Grohe é distribuída em mais de 180 países. A parceria exclusiva com a grife brasileira, promete arrasar: a Vallvé tem 45 anos de riscado e uma coleção acima de qualquer suspeita.

Autor: - Categoria(s): Design Tags: , , , , , , , , ,
05/09/2008 - 17:06

Hora do banho

Compartilhe: Twitter


Quando o designer Ron Arad apresentou sua mais nova criação na Feira de Design em Milão deste ano (que aconteceu em maio), muita gente ficou desconfiada e sem entender um dos objetos propostos: uma banheira inspirada num mictório reversível. Finalmente a criatura ganhou uma interpretação mais humana e pode ser compreendida. Trata-se de uma semi-esfera de cerâmica gigante suspensa na parede com um sistema rotatório que permite transformá-la tanto num chuveiro quanto numa banheira pós-moderna, algo dadaísta. Gostou? Deixa um comentário! Já já eu retorno com força total nos posts (ainda em fechamento de revistas…).

Autor: - Categoria(s): Design Tags: , , ,
Voltar ao topo